Lendo essa matéria me peguei pensando em como essa obra é contraditória. Quando foi planejada e colocada em andamento era pra ser uma obra “milagrosa”, iria tirar o trânsito de São Paulo, com isso ajudaria a melhorar o ar já extremamente poluído de São Paulo, melhoraria a qualidade de vida dos paulistanos e tudo isso sem custo algum pro contribuinte. Porém como estamos falando do Brasil, nossos políticos deram um jeito de sair ganhando nessa também.

Depois de privatizarem as estradas paulistas eles perceberam a mina de ouro, enchem os bolsos com as privatizações, nos fazem pagar uma fortuna em pedágios, e ainda continuam arrecadando a mesma quantidade de impostos. E com um porém, nós estamos plenamente satisfeitos com isso, gritamos aos 7 ventos que temos as melhores estradas do país, mas não dizemos a que custo. Chegando ao ponto de compará-las com  estradas européias, cujas quais não se paga “extra” pela manutenção, o dinheiro vem somente dos impostos. Voltando ao Rodoanel e a matéria, ela diz respeito aos preços de pedágio que serão aplicados no trecho que entrará em licitação, onde vencerá a que oferecer mais dinheiro pelo menor valor de pedágio. Pois bem, independente do valor do pedágio, cruzar São Paulo para um caminhoneiro (descontando o trânsito) continuará a ser mais vantajoso, o caminho é mais curto e não se paga nada por isso, então por que andar mais e ainda pagar por isso?? Oras ingênuos amigos por que o governo com certeza virá com a melhor solução para isso, aplicar multa pros caminhões que entrarem em São Paulo.

E nesse jogo, todo mundo sai ganhando, só nós os palhaços da vez que continuamos pagando olhando tudo isso e achamos que estamos com a bola toda, afinal nossas estradas são de primeiro mundo!