Algum tempo atrás, logo após o Rio ter sido declarado a cidade sede das olimpíadas todo mundo por aqui (moro no Reino Unido) veio me perguntar se eu estava feliz com isso e ao receberem um não me perguntavam o por que. Tentei explicar que não conseguia ver isso como uma coisa boa, que não estavamos prontos para receber algo desse porte e blá blá blá,  só que faltava algo mais “concreto” do que puro sentimentalismo e alguns dias depois recebi por email a visão de um conhecedor do mercado financeiro,  a respeito de vários fatos que para nós passa desapercebido mas que no fundo mostram o que acredito ser os verdadeiros motivos para que essas olimpíadas venham para a terra brasilis, e que conseguiu dar “fatos” aos meus sentimentos.

Segue o texto, um pouco longo mas que merece a leitura.



E o Rio vai sediar as Olimpiadas de 2016. Apesar de ser vidrado em
esportes, como praticante e espectador (vejo até golfe na tv), eu não
comemorei e não vou comemorar até a abertura dos jogos. 

Na minha visão, a realização de uma olimpiada deveria ser um prêmio para
um país que investe no esporte e que possui cidades adequadas para ser
sede de um evento tão nobre. Mas, a decisão do COI é puramente política
e em matéria de bastidores politicos somos imbatíveis, conforme sugerido
pelo governador de Toquio (ainda mais atrelados ao poderio de mais
R$100milhões de sedução brasileira). 

Por quê não Chicago? Porque o mundo politico quis dar uma resposta aos
dois mandatos do Bush, no qual os EUA se distanciaram e se fecharam,
acreditando ser praticamente um planeta a parte.

E o Obama pagou caro por enaltecer demais "the Guy" e foi humilhado,
pagando uma conta antiga. Por que não Madri? Porque fazer duas
olimpiadas seguidas na europa não seria correto. 

Por que não Toquio? Porque os interesses de transmissão pela tv são
seriamente afetados devido ao fuso e 80% da receita do COI vem... da tv!

Qual o interesse real por trás da candidatura carioca? Mostrar a força
politica brasileira na tempestade perfeita. Um raio que só cai 3x num
homem tão iluminado como nosso presidente, que não perdeu a oportunidade
e fez menção ao pré-sal no discurso de comemoração. Um momento no qual o
mundo desenvolvido sente as mazelas da crise economica mundial, da qual
o Brasil passou com menos problemas e saiu antes. O gap fechou e a
sensação é que somos muito melhores. Mas, a verdade é que somos apenas
menos piores.
E esta falsa sensação pode ser nossa maior inimiga, pois pode servir
como pano de fundo para muita pouca gente se beneficiar, enquanto uma
nação se beneficiará apenas marginalmente diante de tanto $$$.

Voltando ao foco inicial, as Olimpiadas deveriam ser um prêmio a um
país devotado ao esporte. Assim como um pai dá um carro para um filho
que entra na faculdade.
Mas, historicamente, aonde está o esporte brasileiro dentre as
prioridades dos governantes? Nossos atletas olimpicos de 2016 tem hoje
10, 11, 12,13 anos de idade. Eles já não comeram na infância os mesmos
nutrientes que seus concorrentes americanos. Ele já não tem bolsa
escolar para garantir o futuro pós vida esportiva. Muitos não tem como
chegar ao treino. A maioria não tem material esportivo adequado. Eles
muitas vezes não tem nem aonde treinar. O esporte no Brasil nunca foi um
meio de inclusão social mas sim de exploração.

Veja o sucesso do volei brasileiro. Parece uma coisa fantastica, certo?
Saiba que o nosso volei e o COB estão para as Olimpiadas, assim como
nosso futebol e a CBF estão para a Copa do Mundo.
Primeiro, saiba que é um esporte praticado em nível profissional no
Brasil, na Russia, na Italia....weird! Só que o campeão olimpico atual
são os EUA e seu volei amador.
Todos sabemos da força politica da CBF, desde que Pelé surgiu e o Brasil
se tornou o país do futebol. Só que até pouco tempo atras, o futebol não
era esporte olimpico (e vai deixar de ser em breve).
Sabe de qual modalidade deriva o presidente do COB, Comite Olimpico
Brasileiro? Volei e com patrocinio estatal. Bom, facil de entender como
o volei se tornou tradicional no Brasil nos ultimos 20 anos.
Se fosse pela pureza da ideia, era de se esperar que o presidente do COB
estivesse satisfeito, pois com 67 anos de idade está proximo da idade
limite de 70 anos, imposta pelo COI para os presidentes eleitos após
2002 e finalmente conseguiu emplacar uma olimpiada por aqui. Ele cumpriu
seu papel e sua missão - apenas João Havelange (opa, olha o futebol ai)
e Samaranch são vitalicios do COI. Mas, ele quer mais e está pleiteando
junto ao COI que se altere a idade para 80 anos. Por quê? Eu deixo esta
para a Hebe responder. Assim, pelo lado esportivo, o Brasil não merece a
Rio 2016. Pelo lado politico-esportivo, muito menos.

O esporte brasileiro vive do esforço e dedicação de heróis que não tem
outro interesse do que representar e lutar pela glória da amarelinha,
por puro e sincero amor ao esporte e ao país. Apenas por isto depois de
um Guga, não apareceu outro e provavelmente não vai aparecer. Por isto
mesmo que um Cielo treina fora do pais e não se submete. 

Vamos ver pelo lado da experiencia recente, se o Rio tem condições
comprovadas de receber as Olimpiadas (desde já deixo claro que, entre
Rio e SP, o Rio tem muito mais vocação para este tipo de evento!)

"A grande lição do Pan é que precisamos fazer um melhor planejamento,
antecipar tarefas para evitar surpresas de última hora e reduzir
custos", afirmou Orlando Silva, ministro do Esporte, terça passada no
COl para tratar da candidatura para a Olimpíada de 2016. Ou seja, o
ministro reconhece que no Pan o planejamento foi deficiente e gastou-se
além da conta.
Só que na hora de passar isto adiante, o tom é bem diferente: "Relatamos
(ao COI) o grande sucesso dos Jogos Pan-Americanos, o legado que o Pan
deixou para a cidade"

Qual foi o legado que o Pan deixou para a cidade? Foi anunciado que o
plano de segurança seria o grande legado, que mudaria para sempre a
gestão da segurança da cidade, pelas novas técnicas implementadas e
novos equipamentos utilizados. E a linha 3 do metrô? Nem chegou a
prancheta. Eu pergunto aos meus amigos cariocas, sobre uma única obra
feita que tenha melhorado a qualidade de vida ou que tenha tornado a
cidade mais segura. Agora eu conto para vocês, quanto custou a diaria de
um atleta na Vila Olimpica durante o Pan: R$1.137. Coisa de hotel 6
estrelas, mas com cama de presidio! E olha que foram investidos
R$4bilhões. E que a raio olimpica foi materia de Veja, tamanho o abandono. 

Até me provem contrario, a realização da Rio 2016 é a união desgraçada
entre vaidade e politíca. E apesar de bem humorado 99% do tempo, meu
sorriso não sai assim, como cordeiro bobo.

Eu fico feliz que o sentimento em relação ao Brasil é muito positivo
hoje no mundo todo, pois nós, brasileiros, fizemos por merecer e
conquistamos o Investment Grade.
Já o oba-oba em torno disto, como a realização da Copa e as Olimpiadas
de 2016 não podem servir como pratos cheios para que os lobos tomem
conta do rebanho. Meu medo é que estes presentes a nação que tanto luta
e lutou fique apenas no plano sensorial , com o povo acreditando que
finalmente nos equiparamos ao primeiro mundo apenas por sediarmos tais
eventos. Só que no primeiro mundo, o transporte funciona, alimento não
falta, remédios e hospitais são acessíveis e carro blindado é coisa de
comitiva presidencial. 

Sem dúvida estamos diante de uma oportunidade impar de transformar o
Rio e dar ao cartão postal do Brasil o tratamento que merece. Só que no
momento, o que eu vejo é um pensamento fixo na glorificaçao politica
epor isto temos que ficar atentos, sem sorriso de bobo na cara. Além do
que eu citei acima, saiba que em 2008 o TCU analisou 153 obras.
Resultado: mandou parar 48 delas. As maiores irregularidades são
sobrepreço, superfaturamento, falta de projeto executivo e problema
ambiental. E o Rio, é natureza pura. Mar de um lado, vegetação do outro.
Seria um crime.

Voltando aos mercados...

Pela manhã, o mundo reagiu ao Payroll mais fraco que se juntou a uma
série de dados recentes que eu enumerei aqui na semana passada, os quais
demonstraram claramente como a expectativa dos mercados estava muito a
frente da realidade economica atual. O exagero do S&P em 1075 pontos no
dia 23, foi parcialmente retirado com um teste do nível de 1014 pontos
na sexta passada.

Por aqui, até o anuncio da Rio 2016 o tom era de agonia, com um teste
de 59700 pontos na Bovespa. Porém, depois o fogo da pira olimpica
acendeu as mãos dos players e a reação da bolsa brasileira ao foi coisa
bonita de se ver, com o típico otimismo sendo precificado no d+zero. As
empresas aereas subiram, prevendo trafego maior em ...2016. A
siderurgicas subiram, pois a demanda por vergalhões e outros materiais
será enorme em...2016. As construtoras subiram, afinal, a demanda até
2016 será muito maior. O destaque para mim é o papel HOOT4 (Hoteis
Othon) que saiu de 30 centavos para 1real! 

Hoje este clima de festa segue intacto e o a ação do Duty Free dispara
8%. 

Lembro apenas que hoje é dia 5 de outubro. De 2009. E na última sexta,
dia 2 de outubro, o desemprego nos EUA atingiu 9.8% sendo que no nível
de household foi muito feio o que se viu. E os dados economicos começam
a mostrar que a expectativa de um mundo melhor está exageradamente
exagerada. Mas, o Brasil não tem nada a ver com isto, certo, Sergio?
Fazemos parte de um mundo a parte, aonde a Produção Industrial caiu
apenas -7.2% nos últimos 12 meses e se vende carro como água. Os juros
não subirão nunca mais. A inflação não preocupa. As Olimpiadas estão ai
para comprovar que " Yes, we can!".

Em tempo este blogueiro agradece ao autor do texto por permitir sua publicação e reitero minha opinião de que ainda não estamos prontos pra receber algo desse tipo em nosso país.