Muitos devem ter visto o novo plano do governo para construir 1 milhão de casas, se não viu, clique aqui.

Legal as criticas feitas no link, sobre infraestrutura, dinheiro para os terrenos, etc… Pra mim a infraestrutura é o mais importante, mas no pacote não diz nada sobre incentivo tributário para o comercio das regiões que serão construídas, nem nada sobre postos de saúde, escolas, etc…

O que essa notícia ai em cima não fala, e eu vi ontem a noite no Jornal Nacional é que o plano é para cidades acima de 100 mil habitantes. Legal né?
Vamos construir mais casas no Rio de Janeiro e São Paulo, onde não tem mais espaço pra ninguém.

Quando você encontra na sua casa aquele canto embolorado, cheio de fungos, qual a primeira coisa que você faz? Limpar, correto? O governo não, ele joga um pouco de água, cobre da luz, e põe um aquecedor, pros fungos se reproduzirem mais e deixarem aquele canto mais escroto do que já é.

Esse plano deveria ter várias coisas, como citado na primeira reportagem citada, porém ninguém falou que deveria ter um limite máximo de população na cidade, 500 mil talvez. A questão é que essas casas só podem piorar a situação:

  • Não vai ter escola perto (ou suficiente)
  • Não vai ter saúde perto (ou suficiente)
  • Não vai ter transporte suficiente (é claro)
  • Não vai ter comércio de qualidade durante um bom tempo
  • Para cumprir a meta (que não tem data de fim, como pode ser meta?) eles vão fazer construções sem nenhum conceito de sustentabilidade, gastando mais energia, no mínimo deveria ter arquitetura bioclimática, mas as construtoras vão achar caro contratar os profissionais qualificados e já era.

A única coisa que vai acontecer com esse plano, é que muitas famílias que estão no aluguel vão ter sua própria casa, num lugar ruim, sem infra estrutura e superlotado. Mas mesmo assim, essas pessoas simples vão gostar e votar em quem é responsável por incentivar os fungos a proliferar.

Antes que alguém me acuse de chamar as pessoas de fungos, fungos e acaros existem em todos os lugares, mas não aglomerados em cantos superpopulados, senão a rinite (que a maioria das pessoas tem por causa do excesso de gente por consequência poluição nas grandes cidades) ia estar pior ainda, e ninguém ia conseguir respirar mesmo (enquanto existir oxigênio pra gente respirar). O governo pode estar querendo até fazer algo bom pela população (questionável), mas pode acabar transformando a população em colônias de bolor.