Mais uma das leis que atrasam o Brasil.
Nesse domingo, no fantástico , passou uma reportagem com as 3 cidades com pior IDH do país.
Ta, uma cidade mostrada é uma bosta cidade bem isolada, pouco emprego, pouca água, e a comida custa muito caro.
Problemão dos grandes, por causa da cidade estar tão ruim, muitos dos homens vão para as grandes metrópoles procurar condições de vida melhores. Aquela velha história que todos conhecemos. Superpopula mais ainda as grandes metrópoles, e a família do cara (incluindo os 4345 filhos que ele fez por lá, continuam numa pindaíba situação muito ruim, ele acaba achando uma mulher por aqui e a mulher dele nunca mais vai ver o infeliz sortudo que foi pra grande cidade.
Tirando os transtornos da superpopulação das grandes metrópoles (falta de vagas nas escolas, trânsito infernal, faltam de opções de lazer, transporte precário, eu já disse que o trânsito é infernal?) o problema nunca vai ser corrigido.
Mas tirando tudo isso de lado, o que mais me deixou indignado, é que no meio da matéria fiquei sabendo de uma lei de incentivo a fornicação “apoio” aos produtores rurais que terão filhos. O cabra ganha R$1.500 por que a sua mulher está grávida, é uma quantia para incentivar ajudar uma família que terá um bebê em breve.
Numa cidade onde um cara que trabalha pra dedéu ganha R$120 por mês, isso não é apoio, é incentivo à superpopulação e a prorrogação de um problema que parece que nunca vai ter fim. Num planeta onde temos problema com água para abastecer 7 bilhões de pessoas, num futuro próximo terá mais problema ainda quando chegarmos a 10 bilhões, sem falar nas outras centenas de problemas ambientais relacionados ao excesso de gente no planeta (falta de espaço para produzir comida, para morar, para jogar o lixo, para produzir energia).

Segue um link para a notícia do fantástico, vale a pena dar uma lida.
OBS: detalhe para a mulher que teve 21 filhos e se arrependeu de fazer laqueadura.